guitarra

Tilla Maria
--- Portuguese Fado and Music.

---------Inglês---Português

Rua Carlos Anjos
Amoreira
2765 Estoril
Tel: 21 468 5231
Email:

  Biography
  HOME
  PHOTO GALLERY
  DISCOGRAPHY
  BIOGRAPHY
  SHOWS
  PRESS RELEASES
  LINKS
  CONTACT
 

AN ARTIST IN FOUR STAGES.

The Learning time.

Clotilde Maria Vicente Seguro, with the artistic name of Tilla Maria, born in Cascais sixty years ago, place that she sang, enchanted and where still resides.

A fter high school, she attended the school of nursing "Calouste Gulbenkian" in Lisbon, where she graduated as a nurse. Having exercised the profession for some years and enjoyed, she left to dedicate herself with body and soul to another job not less gratifying: the Fado.

 

Aqui não lhe faltaram apoios, uma vez que seu pai, além de industrial de metalurgia, era um fadista de gema, conhecedor de tudo o que esta arte tem de mais nobre e relacionado com os grandes nomes de poetas, músicos e fadistas da época, levando-a, desde os quatro anos, aos locais onde se cantava fado. Assim foi com naturalidade que Tilla Maria, no Arreda em Cascais primeiro, e depois no Morangueiro e Galito no Estoril, iniciou a sua caminhada artística, evoluindo, para não mais parar.

The Fado & Folk music the profissional way.

Ainda semi – profissionalizada, em 1980, cantando regularmente no Kopus Bar em Cascais, foi convidada para o mais conceituado restaurante típico de Lisboa, “Faia”, aqui já como profissional, que na altura pertencia a Lucília do Carmo e a Carlos do Carmo, onde cantavam todos com o maior trio de guitarras do Bairro Alto, Freitinhas, José Maria Nóbrega e Martinho da Assunção. Ali conheceu e conviveu com grandes fadistas, além dos já citados, entre eles Maria do Rosário, Maria Albertina, Maria da Luz, Lúcio Baumond e o doutor Manuel Branquinho no fado de Coimbra. Aqui foi logo convidada e gravou para a Discossete o seu primeiro LP e cassete de fado e folclore, “A Minha Terra é Cascais”, acompanhada por Jorge Fontes e seu grupo musical.

No Bairro Alto e em toda a Lisboa a fama corre lesta, e Tilla Maria desdobrava-se a ir também cantar a outras casas típicas, onde conviveu com os grandes monstros do Fado, Fernando Maurício, Alfredo Marceneiro Jr., Manuel Fernandes, Fernando Peres, Natália dos Anjos, Gabino Ferreira, Júlio Vieitas e tantos, tantos outros grandes fadistas que seria fastidioso enumerar. Ainda em Lisboa gravou o seu primeiro disco de fado, “Fados” também para a Discossete. Fernando Tordo, Ary dos Santos, António Frazão, Júlio de Sousa entre outros, foram os seus autores. Todas as edições se esgotavam, com venda nas casas típicas e no mercado normal, pelo que não se estranha que a Discossete, não a deixasse escapar, convidando-a, para uma outra gravação de fados, “ Menino Pobre Menino”.

Em 1983, de regresso ao Kopus Bar como profissional, gravou “Fados e Folclore” de Arlindo Carvalho e Luís Simão. Foi outro grande êxito. Em 1984, após a inundação que praticamente destruiu o Kopus, Tilla regressou a Lisboa, ao Bairro Alto, agora para o “Painel do Fado”, onde gravou mais dois discos de Fado, “Isto é Fado” e “Fim do Nosso Amor” e o seu primeiro aparecimento televisivo no programa “Fado nas Casas Típicas” cantando “Hermínia de Lisboa”. Aqui conviveu com grandes nomes do fado e da canção, e com grandes figuras da sociedade portuguesa e internacional. Curiosamente, George Bush pai, ainda como vice-presidente dos EUA, esteve ali, e como recordação levou uma cassete de Fados da Tilla Maria.

But the market is what it is. Tilla had to leave the "Painel do Fado" and dedicate herself to shows across the Country and abroad. This will be the next time.

The road tour party's.

Em 1990 grava para a Disconorte um novo LP, agora todo de canções inéditas, “Não vou recordar” com músicas de José Orlando, Manuel Paião e outros, e letras de Carlos Soares, Eduardo Damas e Natália dos Anjos. Foi mais um êxito, e a partir daqui, Tilla não mais parou, com temporadas no Porto, idas a França, Suíça, Alemanha, Açores e Madeira etc. A Disconorte, para não ficar sem fado desta agora sua artista, reeditou “Isto é Fado”, adquirindo os direitos á Discossete. Em 1993, entrou finalmente na era digital, gravando o seu primeiro CD de inéditos da autoria de José Orlando e Carlos Soares para a Edimusica,” Segredos de Amor”. Foram efectuadas sucessivas edições, estas vendidas nos seus espectáculos de província e estrangeiro, agora com o seu conjunto privativo, Menito Ramos e Companhia, de Torres Vedras. Em 1995 gravou para a Dualsom o segundo CD de inéditos da autoria de Toy, Mário Gil, “Feiticeira do Amor” , parando aqui para reflectir se realmente merecia a pena continuar a empenhar-se artisticamente, quando as editoras começavam a cobrar aos artistas para gravar, e os tops eram comprados a preço de ouro, não correspondendo de nenhum modo ao gosto e arbítrio do mercado. Tilla costumava dizer que “ agora qualquer gago que saiba arrotar em dó maior, se tiver muito dinheiro, vira vedeta e vai para os tops ”.

The return to the origins.

After having acted in all casinos, houses of fado, many districts and villages of this country, have made the delights of Portuguese emigrants throughout Europe and America, Tilla Maria, after the death of her parents and brother in a short space of time, stopped. While singing for friends and family, and make any cry of nostalgia still like Fado…For now, only when and who she wants, whenever she sings as the national song, and nobody is different. Her great friends, Fernando Maurício, Natália dos Anjos, Marceneiro father and son, and many, many others fadista and singers already departed, their absence is certainly a force that is reviving our FADO...

Guitarra

 

Design by Web-Error | Terms & Privacy |

| YouTube Page |- --| Copyright © 2016 Tilla Maria, All rights reserved